domingo, 13 de julho de 2008

Um conto curtíssimo...

sem título

Aconteceu-me uma vez, percebi que estava a ir para o lado errado e olhei em redor para conseguir ver uma placa de sinalização. Nenhuma à vista.

Fui mais adiante.

Lá estavam elas, em colmeia, as placas de sinalização. "Ora bem, vamos lá ver", pensei eu. Ler uma placa não é assim tão fácil como se podia pensar! A de cima dizia "PARA ALI" e a de baixo "PARA AQUI"... Enfim, não me cativaram e andei mais um bocado.

Sentia que me estava a enterrar cada vez mais, mas afinal havia mais pessoas por ali... Pensei em perguntar direcções mas não consegui.

Fui mais adiante outra vez à espera de tropeçar noutra amálgama de placas de sinalização. Lá estavam mais algumas: "PROIBIDO FUMAR", "PROIBIDO COMER", "PROIBIDO BEBER"...

Voltei para trás, corri... Se tivesse andado mais haveria placas com certeza a dizer "PROIBIDO RESPIRAR", "PROIBIDO SONHAR", "PROIBIDO VIVER"...

Escrito em Lisboa, a 7 de Julho de MMVIII

4 comentários:

Raquel disse...

Adoro este texto... as placas em colmeia :D foi uma boa utilização que deste aos verbos. Gosto imenso :) Espero que nunca haja uma placa a dizer "PROIBIDO ESCREVER"...

Sara disse...

Gostei muito!

Silver Black Dust disse...

Onde estavam as placas "Para bem longe daqui" e "proibido proibir" ?...
Gostei.

Miguel Pires Prôa disse...

Possivelmente estavam mais adiante. Ou numa transversal! Mas ele/ela não teve coragem de ir mais além, portanto ficamos na incógnita...