quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Um pequeno conto idiota...

sem título

O gato das botas pretas não gostava do gato das botas azuis. Na verdade, do que o gato das botas pretas não gostava era das botas azuis do gato das botas azuis. Mas como o gato das botas azuis as calçava, o gato das botas pretas não gostava do gato das botas azuis.

Certo dia, uma gata com botas vermelhas foi vista pelo gato das botas azuis. O gato das botas azuis não gostava de botas vermelhas, mas tinha gostado da gata das botas vermelhas. Então contou ao gato das botas pretas e este aconselhou o gato das botas azuis a pedir à gata das botas vermelhas para trocar de botas. Mas como o gato das botas pretas não gostava do gato das botas azuis por causa das botas azuis do gato das botas azuis, o conselho era enganador: o que o gato das botas pretas queria era que a gata das botas vermelhas rejeitasse o gato das botas azuis, porque ele, o gato das botas pretas, gostava de botas vermelhas e, pela descrição do gato das botas azuis, também havia de gostar da gata das botas vermelhas.

A gata das botas vermelhas, quando viu o gato das botas azuis, apaixonou-se imediatamente, tanto pelo gato, como pelas botas do gato. Mas quando ele lhe pediu para trocar de botas, ela ficou desgostosa e foi contar a uma amiga, a gata das botas amarelas que não gostava de botas amarelas. Esta concordou em acompanhá-la quando ela fosse dizer que não, que não trocava de botas, ao gato das botas azuis.

Quando chegaram junto do gato das botas azuis, o gato das botas pretas, que estava escondido, correu para a gata das botas amarelas declarando-se apaixonado. Ela, a gata das botas amarelas, sentiu-se incomodada porque, embora o gato das botas pretas até lhe parecesse atraente, ela detestava botas pretas como as do gato das botas pretas. Ele, o gato das botas pretas, então afirmou que estava disposto a deixar as botas pela gata das botas amarelas. Ao ouvir isto, a gata das botas vermelhas não se conteve: alterou a sua decisão e disse ao gato das botas azuis que trocaria de botas como ele pedira. E botas foram trocadas: a gata das botas vermelhas ficou com as botas amarelas da gata das botas amarelas que não gostava de botas amarelas; a gata das botas amarelas ficou com as botas vermelhas da gata das botas vermelhas; o gato das botas pretas descalçou as botas pretas e ofereceu-as ao gato das botas azuis para poder deixar de não gostar dele por não gostar das botas azuis do gato das botas azuis; finalmente, o gato das botas azuis calçou as botas pretas do gato das botas pretas e deixou as botas azuis para algum gato que gostasse de botas azuis.

Então, a gata das botas amarelas, que antes fora das botas vermelhas, viveu feliz com o gato das botas pretas, que antes fora das botas azuis; e a gata das botas vermelhas, que antes fora das botas amarelas, viveu feliz com o gato descalço, que antes fora das botas pretas. E todos viveram felizes para sempre.

Escrito em Coimbra, a 10 de Setembro de MMVI

1 comentário:

Raquel disse...

ahahah lindo! desculpa, é o melhor que já escreveste... :D Está o máximo. Tem lá tudo!